Após ressuscitar companheiro, fisioterapeuta brasileiro ganha prêmio na NBA

Há cinco anos na NBA (quatro com o Atlanta Hawks e o último com o Brooklyn Nets), o brasileiro Alessandro Oliveira foi eleito o melhor assistente de fisioterapia da liga.

Tim Walsh, chefe do departamento nos Nets, ganhou o prêmio de melhor fisioterapeuta, anunciado na quarta-feira. Oliveira e Lloyd Beckett, seus assistentes, ganharam a premiação na categoria que premia os assistentes.

O prêmio se deu em parte a um incidente no dia 1 de fevereiro.

O olheiro do Brooklyn Nets Jim Sann sofreu um ataque cardíaco em um treino do time.

“Foi bem complicado. Foi até depois do Super Bowl. A gente ia ter um treino leve no ginásio (Barclays Center). A gente estava na nossa sala, esperando os jogadores. Um dos nossos estagiários veio pedir socorro e ele (Sann) estava no chão”, contou Oliveira, ao ESPN.com.br.

Walsh, Beckett e o brasileiro socorreram Sann e o ressuscitaram.

“Usamos desfibrilador, meu parceiro já estava no telefone com o 911 (número de emergência nos EUA). Fizemos massagem respiratória e tudo mais. O pessoal estava na quadra. A gente teve que tirar todo mundo da área. Por sorte a ambulância chegou rápido e a gente conseguiu ressuscitar ele na quadra”, completou Oliveira.

“Eu sou grato a esses caras que souberam exatamente o que fazer e fizeram rápido”, disse Sann, ao jornal “New York Post”.

“As pessoas às vezes usam a frase ‘Você salvou minha vida’ de qualquer forma, mas esses caras realmente salvaram minha vida porque eram bons. Eu devo tudo a eles”, completou.

Alessandro Oliveira, fisioterapeuta dos Nets
Dr. Alessandro Oliveira, fisioterapeuta dos Nets

Sann havia perdido a esposa há três anos devido a um câncer.

“Ele tinha 46 anos e estava em forma. Foi algo que aconteceu mesmo. Estava sentindo algumas dores por um tempo. E hoje ele está bem, está treinando”, disse o brasileiro, sobre o estado de Sann.

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.