Após denúncia de agentes fiscais do Crefito-2, mulher é conduzida à 16ª DP, no Rio, por exercício ilegal da profissão de fisioterapeuta

Os agentes fiscais, Claudia Marques e Rafael Vianna, do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Segunda Região (Crefito-2) identificaram, na tarde do dia 13 de maio de 2015, uma suposta fisioterapeuta atuando em um apart-hotel, na orla da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Após a constatação das irregularidades durante o ato fiscalizador no “Studio Mary Freitas Fisioterapia e Estética”, os fiscais acionaram a Polícia Militar, que conduziu a responsável até a 16ª Delegacia Policial, no mesmo bairro, onde foi lavrado o Registro de Ocorrência.

A suposta profissional foi autuada por falsificação de documento particular e exercício ilegal de profissão ou atividade, conforme o documento lavrado pela autoridade policial.

Aos fiscais do Crefito-2, a mulher apresentou uma cópia de diploma de conclusão de curso de Fisioterapia da Universidade Iguaçu (Unig) e confirmou não estar registrada no Conselho, apesar de publicar um número de registro em seu material de divulgação na internet. Uma funcionária da instituição de ensino informou, por telefone, que não constaria no cadastro da universidade o nome da pessoa identificada durante a fiscalização. Averiguando a questão de registro profissional, uma nova irregularidade foi encontrada: o número por ela utilizado pertence a outro profissional.

A denunciada declarou aos agentes do Defis/Crefito-2 que atendia sozinha no local e que não possuía Alvará de funcionamento do espaço, que fica dentro de um apart-hotel, conforme Termo de Visita lavrado pelos fiscais e assinado por ela.

Defesa dos profissionais e da sociedade

A ação do Departamento de Fiscalização do Crefito-2 reforça a prerrogativa do órgão, que é responsável pelo controle social da Fisioterapia e Terapia Ocupacional do estado do Rio de Janeiro. Vale lembrar que, em 2015, outros dois casos já foram denunciados à Polícia pelos agentes fiscais da Autarquia.

As denúncias submetidas ao Conselho estão sendo apuradas com seriedade pelo Defis e, quando necessárias, todas as medidas cabíveis estão sendo tomadas. Dessa maneira, o Crefito-2 busca assegurar a qualidade dos serviços prestados pelos fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais de sua jurisdição e defender os interesses das profissões.

Veja como identificar se um profissional está habilitado

Para saber se um fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, empresa ou consultório das áreas de Fisioterapia ou Terapia Ocupacional está em regularidade perante o Conselho Regional, é simples. Basta acessar a plataforma Crefito-2 Online (www.bit.ly/crefito2online) e efetuar a consulta na área “Acesso Público”.

O serviço oferece buscas por nome ou número de registro. Para atuar, o status de profissionais, empresas ou consultórios deve estar “Ativo”, o que significa que estão habilitados ao exercício profissional. Em caso de divergências ou dúvidas, é preciso entrar em contato com o órgão para obter mais informações.

Saiba como denunciar irregularidades

Para receber as denúncias em relação à atuação de profissionais e empresas das áreas de Fisioterapia e Terapia Ocupacional no estado do Rio de Janeiro, foram disponibilizados três canais pelo Crefito-2.

Nos encaminhamentos de casos por e-mail ou Ouvidoria, é importante que sejam fornecidos o máximo de informações disponíveis, para dinamizar as averiguações e possível ato fiscalizador para apuração das denúncias.

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.