Angola tem défice de Fisioterapeutas

Angola dispõe, atualmente, de cerca de 350 fisioterapeutas, distribuídos por várias áreas de atuação dos serviços públicos de saúde, informou ontem,  em Luanda, a vice-presidente da Associação Nacional dos Fisioterapeutas de Angola (ANFA).

Vitória Fortunato, que falava na segunda assembleia geral da associação, afirmou que o número ainda não é o desejável, devido à grande procura pelo trabalho dos fisioterapeutas em todo o território nacional.

A vice-presidente da associação insistiu na necessidade da expansão dos serviços de fisioterapia nas unidades hospitalares, em Luanda e nas restantes províncias, de modo a melhorar a prestação dos serviços de saúde colocados à disposição dos cidadãos.

“É importante que a fisioterapia chegue a todos os hospitais para contribuir, com sucesso, na reabilitação e reinserção do indivíduo com deficiência”, acentuou Vitória Fortunato, para quem a fisioterapia é uma especialidade muito importante na área da saúde por ajudar a pessoa doente a reabilitar-se fisicamente.

A responsável definiu a fisioterapia como a ciência que estuda a arte dos cuidados físicos e de reabilitação, no sentido restrito, da saúde do indivíduo. A associação, acrescentou, trabalha afincadamente na legalização dos fisioterapeutas e na sua formação contínua com vista à melhoria do serviço prestado à população.

A associação está engajada em promover a união da classe, cuja coesão vai permitir que se dê ênfase à importância da Fisioterapia como ciência e profissão, que facilita a reinserção social de milhões de pessoas no Mundo.

1 comentário em “Angola tem défice de Fisioterapeutas”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.