A UTILIZAÇÃO DO EXERCÍCIO AERÓBICO EM PACIENTES COM DOR CRÔNICA

Fernanda de Moura Castro¹ Douglas Silva Ataide² Helkyanne Lima Barbosa³ Iana Barreto Gama4 Victor Hugo Simões Monteiro5 Milena Auzier de Araújo6

  1. Discente finalista do curso de Fisioterapia do centro universitário-FAMETRO
  2. Docente e orientador do curso de Fisioterapia de centro universitário-FAMETRO

RESUMO

Introdução: Muitos profissionais da saúde enfrentam dificuldades de aplicar condutas de tratamento para pacientes com dor crônica, uma das maneiras de tratamento que podem ser aplicadas é o exercício aeróbico, que enfatiza o exercício de forma dinâmica, rítmica e submáxima, melhorando a qualidade de vida dessas pessoas. Objetivo: Verificar a utilização de exercícios aeróbicos para analgesia em pacientes com dor crônica. Metodologia: Trata-se de uma revisão de literatura, baseada em artigos científicos, no qual teve como base de dados, Scielo, Pubmed e Pedro. Tendo como critérios de inclusão, artigos entre os anos de 2010 a 2020, artigos que abordem exercício aeróbico em seu conteúdo e dor crônica. Para os critérios de exclusão ficaram os artigos que envolvem pessoas com doenças cardiovasculares e renais, doenças que limitam a prática de atividade física e estudos envolvendo crianças. Resultados: Foram contabilizados 12 artigos que obtiveram como resultado a redução da dor, 8 artigos dos quais relataram haver melhora da capacidade funcional. Os tipos de estímulos usados, foram: esteira, cicloergometro, braço ergometro, natação, realidade virtual imersiva, caminhada, dança aeróbica, corrida e bicicleta estacionária.Conclusão: Foi visto que a utilização dos exercícios aeróbicos quando aplicados em pacientes com dor crônica, conseguiram reduzir o nível de dor dos pacientes, além de melhorar a capacidade funcional e aeróbica.

Palavras-Chave: Treinamento aeróbico, exercício aeróbico, dor crônica.

ABSTRACT

Introduction: Many health professionals face difficulties in applying treatment procedures for patients with chronic pain, one of the treatment methods that can be applied is aerobic exercise, which emphasizes exercise in a dynamic, rhythmic and submaximal way, improving the quality of life these people. Objective: To verify the use of aerobic exercises for analgesia in patients with chronic pain. Methodology: This is a literature review, based on scientific articles, in which it had as database, Scielo, Pubmed and Pedro. Having as inclusion criteria, articles between the years 2010 to 2020, articles that address aerobic exercise in its content and chronic pain. For the exclusion criteria were articles involving people with cardiovascular and renaire diseases, diseases that limit the practice of physical activity and studies involving children. Results: We counted 12 articles that obtained pain reduction as a result, 8 articles of which reported improvement in functional capacity. The types of stimuli used were: treadmill, cycloergometer, ergometer arm, swimming, immersive virtual reality, walking, aerobic dancing, running and stationary bicycle. Conclusion: It was seen that the use of aerobic exercises when applied in patients with chronic pain, managed to reduce the level of pain of patients, besides improving functional and aerobic capacity.

Keywords: Aerobic training, aerobic exercise, chronic pain.

INTRODUÇÃO

Dor é uma experiência sensitiva e emocional desagradável, associada, ou semelhante àquela associada, a uma lesão tecidual real ou potencial (DeSANTA et al., 2020). Apkarian (2008), define dor crônica, como uma dor que persiste após processo de cicatrização, tem como característica a espontaneidade, quando há uma percepção dolorosa na ausência de estímulos físicos, bem como apresenta respostas exageradas a estímulos físicos.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Estudos da Dor (SBED), ao menos 37% da população brasileira, cerca de 60 milhões de pessoas, relatam sentir dor de forma crônica (HOSPITAL ANCHIETA, 2019). Em um estudo realizado por Montini e Neman (2012), com pessoas que possuem dor na sua forma crônica foi visto que, 51% dos participantes do estudo, não realizam uma atividade física doméstica intensa.

Segundo Kisner e Colby (2016), os exercícios aeróbicos podem ser definidos como exercícios que geram aumento da utilização de energia do músculo por meio de um programa de exercícios, utilizando uma grande concentração de oxigênio, sendo enfatizado o exercício dinâmico, rítmico e submáximo, dos grandes grupos musculares.

A fisioterapia por sua vez recorre a vários recursos para melhorar o tratamento de pessoas que convivem com a dor crônica. Portanto, a realização deste trabalho, teve como base, verificar a utilização de exercícios aeróbicos que favorecem a analgesia em pacientes com dor crônica.

METODOLOGIA

Para construção desta pesquisa, foi realizado um levantamento bibliográfico, acerca dos assuntos mencionados, baseados em literatura de estudos em forma de livros e pesquisas eletrônicas. Trata-se de uma pesquisa de revisão de literatura bibliográfica que utilizou-se como método o tipo hipotético dedutivo com objetivo descritivo de natureza quantitativa-quantitativo não experimental.

Para elaboração desta pesquisa obteve-se como construção dos seguintes critérios de inclusão: artigos publicados a partir de 2010 a 2020; publicados na língua portuguesa e inglesa; artigos que abordem sobre o tema de pesquisa; e como critérios de exclusão: artigos que envolvem pessoas com doenças cardiovasculares e renais; artigos que envolvem doenças que limitam a prática de atividades físicas, e artigos que envolvem crianças. Assim a construção geral da pesquisa ocorreu de agosto a dezembro de 2020.

O presente estudo foi realizado por meio de uma revisão de literatura com busca de dados disponíveis nas bases dispostas na internet como: Scielo, Pedro, Pubmed, livros publicados a partir de 2010. Foram encontrados 53 artigos, desse quantitativo 41 artigos foram excluídos por não estarem dentro dos critérios exigidos. Os descritores utilizados foram: chronic pain, exercise, exercise therapy.

RESULTADOS

Após a pesquisa realizada para verificação do tema apresentado os resultados encontrados foram demonstrados por meio de tabela, evidenciando os exercícios aeróbicos utilizados para analgesia em pacientes com dor crônica, e os efeitos promovidos por meio do exercício.

Tabela 1: Resultado encontrado pelos autores sobre os efeitos dos quais o exercício aeróbico promoveu em pessoas com dor crônica.

AUTOR/ANOMETODOLOGIARESULTADO
Oliveira et al., (2014)O tipo de estudo realizado foi o prospectivo, em indivíduos com dor crônica apresentando os seguintes diagnósticos: bursite, condropatia patelar, dorsalgia, entesite, fascite plantar, gonartrose, lombalgia, pubalgia, sacroilleíte, sequela de fratura, tendinite calcâneo. Foi realizado um programa de exercícios domiciliares, compostos por exercícios resistidos, de alongamentos e aeróbicos.Redução de
dor.
Kanas et al., (2018)O estudo foi do tipo ensaio clínico não randomizado com não cegos. Em pessoas com dor lombar sem causa específica. O programa de exercícios aplicado no estudo foi de 8 semanas, incluindo atividade aeróbica (caminhada ou bicicleta estacionária), seguidos de cinco tipos de alongamento muscular e oito tipos de exercícios de solo.Redução de dor. Melhora da capacidade funcional.
Carvalho et al., (2020)Ensaio controlado randomizado, em pacientes com dor lombar crônica, foram divididos em um grupo experimental, do qual recebeu exercício aquático mais corrida em águas profundas, enquanto o grupo controle recebeu apenas exercício aquático.Redução de dor. Melhora da capacidade funcional.
Chan et al., (2011)Teste controlado e randomizado, em pessoas com dor lombar crônica, atribuídos em dois grupos, controle e intervenção. No grupo controle, os participantes receberam tratamentos convencionais de fisioterapia para lombalgia crônica. O grupo intervenção, recebeu tratamento convencional de fisioterapia e treinamento aeróbico (caminhada, ciclismo e corrida).Redução de dor. Melhora da capacidade funcional. Melhora da aptidão física.
Shnayderman e KatzLeurer (2012)Ensaio clínico randomizado, em pessoas com dor lombar crônica, os participantes foram atribuídos Melhora da aleatoriamente em um grupo capacidade caminhada e grupo de exercícios. funcional.Redução de dor.
Melhora da aptidão física.
Fernandes et al., (2016)Teste controlado e aleatório, em pacientes com Fibromialgia, distribuídos em dois grupos, grupo natação, e o grupo caminhada.Redução de dor. Melhora da capacidade funcional. Melhora da qualidade de vida. Redução do número de analgésicos tomados.
Kabrini et al., (2018)Teste controlado e aleatório, com pacientes de osteoartrite do joelho, foram divididos em 3 grupos de treinamento de resistência combinado com um dos três programas de esteira, cicloergômetro ou braço ergômetro.Redução de dor. Melhora da capacidade funcional. Melhora da qualidade de vida.
Alkatan et al., (2016)Estudo randomizado, feito em pessoas com osteoartrite (OA), separadas em dois grupos, grupo ciclismo e grupo natação.Redução de dor articular. Melhora da capacidade funcional. Diminuição de rigidez. Aumento significativo na distância percorrida durante o teste de caminhada de 6 minutos.
Salacinski et al., (2012)Estudo controlado e aleatório, em pessoas com osteoartrite de joelho, divididas em grupo ciclismo e grupo controle.Redução de dor. Diminuição de rigidez. Melhora da velocidade de marcha preferida.
Gulsen et al., (2020)O estudo é um ensaio clínico randomizado, cego e controlado, com dois grupos, o grupo exercício e o grupo exercício associado a realidade virtual imersiva, foi realizado em pacientes com diagnóstico de fibromialgia.Redução de dor. Melhora da qualidade de vida. Diminuição de cinesiofobia. Diminuição da fadiga. Melhor nível de atividade física.
Sañudo et al., (2010)Foi realizado um teste controlado e aleatório, com mulheres diagnosticadas com fibromialgia, divididos em grupo AE (exercício aeróbico), grupo CE (exercício combinado) e grupo controle de cuidados usuais. Incluindo no exercício aeróbico, caminhada, dança aeróbica e corrida.Redução de dor. Melhoria em funcionamento físico. Melhor capacidade aeróbica. Melhor vitalidade. Melhorias nos escores de depressão. Melhoria em saúde mental.
Sarıfakıog˘lu et al., (2014)Estudo clínico randomizado, com mulheres apresentando Fibromialgia primária, do qual passou por uma terapia por exercícios nele incluindo exercícios aeróbicos, com duração de 1 hora, três vezes na semana durante um período de 12 semanas.Redução de dor. Melhora na pontuação do FIQ. Melhora na pontuação no BDI. Melhora nos parâmetros de estresse oxidativo e antioxidante.

A tabela 1 demonstra os tipos de exercícios aeróbicos utilizados na pesquisa, e os efeitos promovidos pelos exercícios aeróbicos e as doenças crônicas das quais as condutas foram aplicadas.

DISCUSSÃO

Este estudo procurou analisar vários artigos, dos quais utiliza exercícios aeróbicos para redução da dor em pacientes com dor crônica. De acordo com o estudo de Oliveira et al., (2014), em pacientes com dor crônica, foi realizado um programa de exercícios domiciliares em que se incluiu exercício aeróbico, obtendo um bom resultado em relação a redução de dor, havendo uma diferença do escore EVA, no início e no final do estudo.

Em concordância com o autor acima, o estudo de Kanas et al., (2018), propôs aos pacientes realizar um programa de exercícios em que nele está incluído o exercício aeróbico, um grupo realizou os exercícios de forma domiciliar e o outro realizou de forma domiciliar e supervisionada, dessa maneira foi observado também uma redução de dor, e uma melhora da capacidade funcional, não houve uma diferença significativa entre os grupos.

Em um estudo mais recente de Carvalho et al., (2020), que envolveu 50 participantes que realizaram 18 sessões de tratamento, por meio exercício aeróbico, porém utilizando o meio aquático, em pacientes com dor lombar crônica, no qual a atividade que foi mais superior foi o exercício aquático com a adição de corrida em águas profundas, observouse uma redução no nível de dor, com um grande tamanho de efeito d(95% IC) ¼ 0,8 (0,2 – 1,3), mas em um curto prazo de tempo, não mantendo no prazo intermediário de 3 meses de acompanhamento.

Na pesquisa de Chan et al., (2011), ele utilizou em um grupo os exercícios aeróbicos associados a fisioterapia, e no outro grupo somente a fisioterapia, do qual envolveu pacientes com dor lombar crônica, os seus resultados demonstraram que não houve diferença significativa entre os grupos, e que ambos houve redução da dor, melhora da capacidade funcional e melhora na aptidão física, tendo em vista que os efeitos são a curto prazo. Foi visto que o grupo de intervenção melhorou em todos os aspectos de aptidão física, embora o grupo controle melhorou apenas na questão da flexibilidade e porcentagem de gordura corporal.

Shanayderman e Katz-Leurer (2012), obtiveram bons resultados também na mesma população de pessoas com dor lombar crônica, porém a conduta seguida foi de um grupo realizar exercícios e o outro grupo caminhada, o resultado final foi que não houve diferença entre os grupos, e ambos reduziram a dor, melhora da capacidade funcional e aptidão física.

No estudo de Fernandes et al., (2016), em pacientes com fibromialgia, foi comparado dois tipos de modalidades de exercício aeróbico, a natação e a caminhada. Constatou-se, portanto, que houve uma redução de dor, melhora da capacidade funcional, melhora da qualidade de vida e uma redução do uso de analgésicos. Ambos os grupos demonstraram melhorias ao longo do tempo nas variáveis de FIQ, VAS, SF-36 e TUGT, com p<0,001. Não houve diferença entre os grupos, ambos obtiveram resultados próximos em relação a todos os aspectos avaliados nenhum foi superior ao outro.

Para Kabrini et al., (2018), também fez um estudo em pacientes com osteoartrite de joelho, entretanto, utilizou-se de três condutas, a primeira foi a utilização da esteira, o segundo o ciclo ergômetro, e por último o braço ergômetro, em relação a redução de dor, o braço ergômetro teve uma melhor resposta a longo prazo, a menor pontuação no TUG, foi de maior significância no grupo esteira que no grupo do braço ergometro (1,98 vs. 1,22; p=0,02), após a intervenção houve uma melhora significativa dentro do grupo foi revelada nos escores de dor, sintomas, função na vida diária, função no esporte e qualidade de vida relacionada ao joelho em todos os grupos (p<0,05).

No estudo de Alkatan et al., (2016), fez a pesquisa com pacientes de osteoartrite, porém comparando a natação com ciclismo, não houve diferença em ambos os grupos, todos obtiveram um bom resultado nos aspectos avaliados, como: redução de dor articular, rigidez e limitação funcional em ambos os grupos com um p<0,001, da mesma forma aumentou a distância percorrida pelo teste de caminhada de 6 minutos com um p<0,001, em relação a força muscular houve um aumento em ambos os grupos com um p<0,05.

Em relação a prática de exercício aeróbico em pacientes com osteoartrite de joelho, foi visto que houve um bom resultado isso de acordo com a pesquisa de Salacinski et al., (2012), o grupo ciclismo teve uma maior velocidade de marcha preferida, maior redução no autorrelato da Escala Visual Analógica de Dor (EVA), e melhora significativa nas atividades diárias, em relação ao índice de osteoartrite das universidades de Western Ontario e McMaster (WOMAC), na avaliação da linha de base comparado a semana 12 do tratamento, o grupo ciclismo estacionário demonstrou significativa melhora nas subescalas de dor e rigidez.

O estudo de Gulsen et al., (2020), também utilizou o exercício aeróbico, porém, associado a realidade virtual imersa, do qual utilizou um computador, sensor do Kinect Xbox, para detectar os movimentos do corpo e um visor de head-mounted, com dois jogos desenvolvidos pelo laboratório de onde o estudo foi realizado, essa conduta foi comparada a um grupo que faz exercícios e nele incluindo o exercício aeróbico, mas, sem a realidade virtual imersiva. Em comparação entre os dois grupos, o grupo que fez exercício mais a RVI, mostrou-se melhor em razão da redução de dor, melhora na qualidade de vida, diminuição da cinesiofobia, fadiga, melhor nível de atividade física e componente mental da qualidade de vida, com um p<0,05.

Em relação a pratica de exercícios combinado com treinamento aeróbico, sortiu um grande efeito, isso de acordo com o estudo realizado por Sañudo et al., (2010), em pacientes com fibromialgia, do qual fez uma pesquisa com três grupos um praticava exercício apenas, o segundo combinado com exercício aeróbico e o terceiro grupo controle, foi visto uma melhora em ambos os grupos em 24 semanas, nos escores de depressão e qualidade relacionada à saúde, para o questionário SF-26 houve uma melhora do aspecto físico e social para o grupo de exercícios combinados, além da melhora em relação a dor corporal, vitalidade e dimensões de saúde mental.

Em um outro estudo realizado por Sarıfakıog˘lu et al., (2014), ele utilizou apenas o exercício aeróbico, porém avaliando o grupo antes dos exercícios e depois, dessa forma ele obteve uma melhora em relação a redução de dor, resultados positivos relacionados ao questionário de impacto da fibromialgia, e no inventário de depressão de Beck, diminuição do nível oxidativo e antioxidante. Após o exercício, houve uma correlação positiva entre FIQ e BDI (r=0,598; p<0,001) e entre FIQ e VAS (r=0,932; p<0,001), da mesma maneira houve uma correlação positiva entre BDI e VAS (r=0,602: p<0,001).

CONCLUSÃO

O presente estudo conseguiu verificar a utilização dos exercícios aeróbicos para analgesia em pacientes com dor crônica, foi visto que a utilização dos mesmo quando aplicados em pacientes com dor crônica, conseguiram reduzir o nível de dor dos pacientes, além de melhorar a capacidade funcional e aeróbica. Portanto, foi visto que a utilização de exercícios aeróbicos pode contribuir para o tratamento de pessoas com dor crônica, obtendo melhores resultados na redução da dor e promovendo qualidade de vida em todos os seus aspectos.

REFERÊNCIAS

ALKATAN, M., BAKER, R. J., MACHIN, R. D., PARK, W., AKKARI, S. A., PASHA, P. E., TANAKA, H. Improved Function and Reduced Pain after Swimming and Cycling Training in Patients with Osteoarthritis. The Journal of Rheumatology.2016. Doi: 10.3899/jrheum.151110.

APKARIAN, V. Pain perception in relation to emotional learning. Cuur Opin Neurobiol. 2008 August; 18 (4): 464-468. Doi. 10.1016/j.conb.2008.09.012.

CARVALHO, S. G. R., SILVA, F. M., DIAS, M. J., OLKOSKI, M. M., BELA, D. F. L., PELEGRINELLI, M. R. A., BARRETO, T. S. M., CAMPOS, R. R., GUENKA, C. L., FACCI, M. L., CARDOSO, R. J. Effectiveness of additional deep-water running for disability, lumbar pain intensity, and functional capacity in patients with chronic low back pain: A randomized controlled trial witch 3-month follow-up. Elsevier. 2020. Doi: 10.1016/j.msksp.2020.102195.

CHAN, W. C., MOK, W. N., YEUNG, W. E. Aerobic Exercise Training in Addition to Conventional Physiotherapy for Chronic Low Back Pain: A Randomized Controlled Trial. 2011. Doi: 10.1016/j.aprnr.2011.05.003.

DESANTANA, M. J., PERISSINOTTI, N. M. D., JUNIOR, O. O. J., CORREIA, F. M. L., OLIVEIRA, M. C., FONSECA, B. R. P. Definição de dor revisada após quatro décadas. BrJP vol.3 no.3. 2020. Doi: 10.5935/2595-0118.20200191.

FERNANDES, G., JENNINGS, F., CABRAL, N. V. M., BUOSI, P. L. A., NATOUR, J. Swimming Improves Pain and Functional Capacity of Patients with Fibromyalgia: A Randomized Controlled Trial. Archives of physical medicine and rehabilitation. 2016. Doi: 10.1016/j.apmr.2016.01.026.

GULSEN, C., SOKE, F., CEKIM, K., APAYDIN, Y., OZKUL, C., GUCLU-GUNDUZ, A., AKCALI, DT. Effect of Fully Immersive Virtual Reality Treatment Combined with Exercise in Fibromyalgia Patients: A Randomized Controlled Trial. 2020. Doi: 10.1080/10400435.2020.1772900.

HOSPITAL ANCHIETA. Mais de 30% da população convive com a dor crônica no Brasil. 2019. Data de acesso:

KABRINI, S., HALABCHI, F., ANGOORANI, H., YEKANINEJAD, S. Comparison of three modes of aerobic exercise combined with strength training on the pain and function of patients with knee osteoarthritis: A randomized controlled trial. Physical Therapy in Sport. 2018. Doi: 10.1016/j.ptsp.2018.04.001.

KANAS, M., FARIA, S. R., SALLES, G. L., SORPRESO, E. C. I., MARTINS, E. D., CUNHA, A. R., WAJCHENBERG, M. Home-based exercise therapy for treating non-specific chronic low back pain. 2018. Doi: 10.1590/1806-9282.64.09.824.

KISNER, C., COLBY, A. L. Exercícios Terapêuticos Fundamentos e Técnicas. Manole.6ª ed. 2016.

MONTINI, T. F. NEMAN, A. F. Prevalência e Avaliação da Dor Crônica nos Cadastrados da Unidade Básica de Saúde Jardim Palmira, Guarulhos/SP. Science in Health. 3 (2):74-86. Maio-ago 2012.

OLIVEIRA, S. A. M., FERNANDES, C. S. R., DAHER, S. S. Impacto do exercício na dor crônica. Rev Bras Med Esporte – Vol. 20, Nº 3 – Mai/Jun 2014. Doi: 10.1590/1517-86922014200301415.

SALACINSKI, J. A., KROHN, K., LEWIS, F. S., HOLLAND, L. M., IRELAND, K., MARCHETTI, G. The Effects of Group Cycling on Gait and Pain-Related Disability in Individuals with Mild-to-Moderate Knee Osteoarthritis: A Randomized Controlled Trial. Journal of orthopaedic & sports physical therapy. Vol. 42, Nº12. 2012. Doi: 10.2519/jospt.2012.3813.

SHNAYDERMAN. I., LEURER-KATZ, M. An aerobic walking programme versus muscle strengthening programme for chronic low back pain: a randomized controlled trial. Clinical Rehabilitation. 27(3) 207-214. 2012. Doi: 10.1177/0269215512453353.

SAÑUDO, B., GALIANO, D., CARRASCO. L., BLAGOJEVIC, M., HOYO, M., SAXTON, J. Aerobic Exercise Versus Combined Exercise Therapy in Women With Fibromyalgia Syndrome: A Randomized Controlled Trial. Arch Phys Med Rehabil. Vol 91. 2010. Doi: 10.1016/j.apmr.2010. 09.006.

SARIFAKIOG ̆LU, B., GÜZELANT, Y. A., GÜZEL, Ç. E., GÜZEL, S., KIZILER, R. A. Effects of 12-week combined exercise therapy on oxidative stress in female fibromyalgia patients. Rheumatol Int2014. Doi: 10.1007/s00296-014-2978-2.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.