A UTILIZAÇÃO DE ELETROCAUTÉRIO NO REJUVENESCIMENTO DA REGIÃO ORBITAL SUPERIOR: UM ESTUDO DE CASO

Electrocautery in in the rejuvenation of the superior orbital region

Autora: Dra. Fabiola Zucco Graf

Contato: fabgraf@terra.com.br

 

Resumo

 

Este artigo descreve uma nova técnica para rejuvenescer a região orbital superior. Proponho com este estudo a utilização do eletrocautério para rejuvenescimento desta região.

 

Abstract

 

This article describes a new technique for rejuvenating of the superior orbital region. I propose the eletrocautery as a cutaneous rejuvenation method.

 

Introdução

 

Atualmente muito tem se falado sobre jato de plasma e rejuvenescimento facial. Antes de mostrar o resultado obtido com eletrocautério na diminuição de pele na região de pálpebra superior, acredito ser necessário esclarecer a diferença entre jato de plasma e eletrocautério. Muitos profissionais vêm utilizando o Eletrocautério e chamando de Jato de Plasma. Apesar da finalidade terapêutica ser a mesma, é importante salientar a diferença entre as duas técnicas.

No eletrocautério a corrente elétrica é disparada diretamente na superfície gerando uma queimadura superficial controlada, dependendo da intensidade da corrente teremos uma indução inflamatória até a destruição das alterações cutâneas. A retração de pele causada pelo eletrocautério foi relatada em alguns artigos. Conforme Coimbra (2010), observou-se que tratando lesões nas pálpebras inferiores através da eletrocoagulação ocorria retração da pele perilesional. O resultado encontrado mostrou-se promissor, havendo diminuição importante da flacidez cutânea e das rítides na região, decorrentes provavelmente da retração da pele ocasionada pelo trauma tecidual.

O Jato de Plasma é um aparelho que emite um estado da matéria, o plasma. Este estado da matéria é altamente energético, podendo interagir com o tecido cutâneo de diferentes formas, dependendo da intensidade de energia depositada. Quando ela é baixa, como em varredura, ele apresenta uma atividade séptica interessante, sendo indicado na terapêutica da acne. Com o aumento do depósito de energia, gera-se uma resposta inflamatória que estimula a produção de colágeno combatendo a flacidez e rugas, bem indicado em protocolos de rejuvenescimento. Com grande carga de depósito pontual de energia, ele desenvolve  ainda uma atividade ablativa, que pode chegar até o nível de carbonização de algumas formações cutâneas como acrocódons, nevos e xantelasmas. A pele que recebe essa alta carga energética apresenta retração e justifica sua indicação para a famosa blefaro não cirúrgica (Emmert et AL, 2017).

Os tratamentos com estas duas técnicas ainda é recente, não havendo estudos comparativos sobre a eficácia das mesmas. Fica como sugestão realizar uma pesquisa comparativa entre as duas técnicas.

 

Mecanismo de Ação e Técnica de Aplicação

O Eletrocautério age através de corrente elétrica, não sendo necessário nenhum produto adicional, além do anestésico tópico. Ele causa micro lesões na pele, provocando um leve processo inflamatório e pequenas queimaduras.

Esse processo inflamatório pode resultar em um escurecimento da região, que deve ser tratado com despigmentantes. É observado esse aparecimento de manchas mais em pessoas morenas. Coimbra (2010) relata o desaparecimento das manchas em dois meses.

Não se tem na literatura acadêmica das contra-indicações desta técnica, mas devido a essas complicações em peles morenas, sugiro não realizar em peles com esse fototipo e também em pessoas que apresentem problemas de cicatrização.

Coimbra (2010 ) sugere realizar o procedimento em linhas orientadas em semicirculos, seguindo a direção das fibras do músculo orbicular dos olhos. Este relata uma melhor cicatrização e retração da pele com este tipo de aplicação. Adotamos esta técnica de aplicação.

A aplicação é feito com ponteira “pontual”, e realizado pontuações orientadas em semicírculos.

A intensidade utilizada não tem como ser medida no aparelho, tendo sido selecionado uma intensidade mediana ( 5 esferas acesas).

 

Especificações do Aparelho

 

O aparelho utilizado foi o Lótus

Tensão 90-230v

Freqüência 50 Hz e 60 Hz

Consumo 110W/Hora

Saída de Freqüência 10 Mhz á 30 Mhz

Número de séria 049

 

Desenvolvimento e Demonstração de Resultados

 

Foi realizado um estudo de caso com paciente do sexo feminino, 62 anos. Para observar o rejuvenescimento da região orbital superior, foi tirado uma foto antes da sessão e após  2 semanas do procedimento, com celular Samsung S8.

Foi orientado a paciente evitar exercícios físicos e se expor ao sol e alta temperaturas por 72 horas. Também foi recomendado o uso de protetor solar e utilizar a pomada Trok-N 3 vezes ao dia. Foi orientado à paciente não remover possíveis crostas, formados pelas pequenas queimaduras.

Após o tratamento a paciente ficou ligeiramente vermelha, e no dia posterior houve formação de pequenas crostas. A paciente teve uma ótima cicatrização, sem intercorrências.

 

Abaixo o antes e depois de uma sessão de eletrocautério:

Conclusão

Acredito que este estudo de caso venha a somar conhecimento sobre a técnica de eletrocautério e esclarecer dúvidas sobre jato de plasma e a eletrocauterização.

Há uma escassez de literatura à respeito destes dois temas, sendo necessário mais pesquisas e artigos sobre o assunto.

A técnica se mostrou extremamente eficaz. A duração do resultado obtido ainda precisa ser observado e posteriormente relatado. Não houve complicações como escurecimento da região ou cicatrizes nesta paciente, mas ainda há necessidade de mais estudos para mensurar os riscos da técnica.

O resultado encontrado mostrou-se promissor, havendo diminuição importante da flacidez cutânea e das rítides na região, decorrentes provavelmente da retração da pele ocasionada pelo trauma tecidual em apenas uma sessão.

 

Referencia Bibliográfica

1   Dal’Asta Coimbra, Daniel. Eletrocoagulação fracionada para o rejuvenescimento da região orbital inferior.Surgical & Cosmetic Dermatology, vol. 2, núm. 3, julio-septiembre, 2010, pp. 233-236

2 Emmert et AL. Plasmamedizin in der Dermatologie. Disponível em:<https://dermatologie.med.unirostock.de/fileadmin/Kliniken/duk/Plasma_in_der_Dermatologie.pdf> Acesso em 17 nov. 2017

3 FITZPATRICK, T. B. Dermatologia em medicina geral. 3 ed. Buenos Aires: Panamericana, 1992.

4  Sampaio & Rivitti .Eletrocirurgia, Eletrocauterização, Eletrólise e Iontoforese. In: SampaioSAP & Rivitti EA.Dermatologia. SP: Ed Artes Médicas; 200. p.1093-1100.

5 ZUCCO, F.“ Acupuntura estética facial no tratamento de rugas”. www.fisioweb.com.br, fev, 2004.

6 Zucco, F. Diminuição do sulco nasolabial através do tratametno com corrente russa associado a exercícios faciais: Um estudo de caso. Disponível em: <https://www.novafisio.com.br/diminuicao-do-sulco-nasolabial-atraves-do-tratamento-com-corrente-russa-associado-a-exercicios-faciais-um-estudo-de-caso/15/> Acesso em 20 nov. 2017

12 comentários em “A UTILIZAÇÃO DE ELETROCAUTÉRIO NO REJUVENESCIMENTO DA REGIÃO ORBITAL SUPERIOR: UM ESTUDO DE CASO”

    1. Depende de vários fatores, mas são realizadas uma vez vez por mês. Pode chegar até umas 4 ou 5 sessões para ser ter um ótimo resultado.

  1. Silvia Pova Carlos

    Boa noite
    Foi feito no meu rosto na parte do bigode chinês umas 2 seções, na primeira foi super tranquilo
    Na segunda seção que ocorreu uns 2 meses depois deu uma bolinhas e uma irritação no local aplicado, há usei varias pomadas Bepantol, pomada para fungos, nebacetim e nada de sarar
    Também tem algumas bolinhas no queixo q também foi feito, mas o pior é lateral do nariz
    O que vc pode me orientar ?

    1. Rosenilda Michele de Lima e Silva

      Olá, eu fiz esse procedimento nas pernas, colo e rosto, para remoção de manchinhas que se tornaram maiores e mais escuras. Eu me arrependi de ter feito. Estou com depressão. Faz 4 meses que fiz no Hospital Universitário Mário Palmeiro de Uberaba MG pelo SUS. Alguém pode me ajudar? Eu não quero ficar assim? E-mail Rosenilda_lima@live.com

  2. Maurício Panzeri

    Na verdade este procedimento é utilizado por dermatogistas para a retirada de Nevus, pintas, cauterização e etc… e para se usar este aparelho como forma rejuvenescimento seria preciso saber mais informações sobre como utilizar a sua frequência. Acho um risco utilizar métodos médicos para não médicos. Abraço

    1. Essa técnica começou a ser utilizada por médicos, mas já é utilizada por profissionais de outras áreas no Brasil, inclusive fora do país. Acredito que necessita de mais estudo, e com certeza a intensidade que devemos usar deve ser muito inferior a de uma retirada de pinta por exemplo. Este ano particularmente estamos observando muitos cursos desta técnica, inclusive com fisioterapeutas conceituados, o que acredito que vem a somar muito conhecimento sobre a técnica e nos dar mais confiança em utilizá-la. Sobre a intensidade, o menos é mais sempre. Abraços

    2. Marcos de Carvalho

      Estou muito satisfeito com resultado, não tive problemas,resultados além de satisfatório.

  3. Tenho a pele negra retinta e comecei a fazer o tratamento para o bigode chinês e as pálpebras. É seguro ou corro risco de desenvolver acromia nas partes tratadas? Uso protetor solar e reaplico a cada 2 horas. Desde já agradeço a atenção.

    1. Luciene Oliveira

      Bom dia, no seu caso deveria ter mais cuidados pois pele nera e fototipo alto tem tendencia maior em hiperpigmentar nesse caso apresentar cromias mesmo. Tem que se ter cuidado no grau da lesão quanto maior lesão maior risco de hiperpigmentação.

    1. No Pós imediato indico a pomada Trok N. Pós tardio teria que avaliar o que ocorreu, pois na realidade não deveria ter necessidade de usar nada mais. Se manchar, teria que usar algum clareador. Menos é mais sempre

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.