A IMPORTÂNCIA DA FISIOTERAPIA NA PREVENÇÃO DE QUEDAS DE IDOSOS

JOZILMA DE SOUZA ANDRADE
Trabalho de Conclusão do Curso de Fisioterapia, Faculdade Uninassau, para obtenção do título de Fisioterapeuta.
Orientador (a): Prof. Carlos Cerqueira.

DEDICATÓRIA
Dedico este trabalho à minha família em especial aos meus filhos e esposo, que não mediram esforços para me ajudar. Vocês são minha fonte de coragem, força fé e determinação. OBRIGADO!

AGRADECIMENTO
Agradeço a Deus primeiramente, por ter me dado forças, por me guiar, para enfrentar as barreiras que encontrei durante a trajetória, ao longo do curso.
Agradeço aos meus familiares, pela força, pelo incentivo e apoio que me deram. Foram fundamentais para mim. Aos meus professores e mestres e ao meu orientador, que contribuíram para minha vida acadêmica por meio da transmissão dos conhecimentos e orientações.

EPÍGRAFE
“Que todos os nossos esforços estejam sempre focados no desafio à impossibilidade. Todas as grandes conquistas humanas vieram daquilo que parecia impossível”
(Charles Chaplin)

RESUMO

Este artigo aborda a importância da fisioterapia na prevenção de quedas de idosos, tendo como objetivo apresentar os recursos da fisioterapia de mais importância na prevenção de quedas de idosos. Realizou-se análise de 20 artigos. O método utilizado foi à busca nas bases de dados SCIELO, SCIENCE, PEDRO e sites. Os resultados mostram que a prevalência de quedas é maior no sexo feminino, tendo como fatores para possíveis quedas, alterações no sistema fisiológico e anatômico, e mostram que os recursos como meio de intervenção da fisioterapia aquática, exercícios multicomponentes, FNP, tem significativa eficácia como meios de prevenção de quedas. Assim conclui-se que os recursos da fisioterapia voltados para a prevenção de quedas é de suma importância e poderão oferecer uma melhor qualidade de vida para os idosos.

Palavras-chaves: fragilidade, idoso, envelhecimento, qualidade de vida.

ABSTRACT

This article discusses the importance of physiotherapy in the prevention of falls in the elderly, aiming to present the most important physiotherapy resources in the prevention of falls in the elderly. Analysis of 20 articles was carried out. The method used was to search the SCIELO, SCIENCE, PEDRO and websites databases. The results show that the prevalence of falls is higher in females, having as factors for possible falls, changes in the physiological and anatomical system, and show that resources as a means of intervention of aquatic physiotherapy, multicomponent exercises, PNF, have significant efficacy as means of preventing falls. Thus, it is concluded that the resources of physiotherapy aimed at preventing falls are extremely important and may offer a better quality of life for the elderly.

Keywords: fragility, elderly, aging, quality of life.

1. INTRODUÇÃO

Segundo NETO et.al, (2018) o envelhecimento é um processo biológico, progressivo e universal que exige constantemente a revisão de medida socioeconômica em um país, especialmente em relação à saúde. SOUZA, (2018) destaca que, um fenômeno que acompanha o envelhecimento populacional é a feminização da velhice, isto é, a maior proporção de mulheres que de homens na população idosa, especialmente em idades mais avançadas.

Segundo o IBGE, a população idosa tende a crescer no Brasil nas próximas décadas, como aponta a projeção da população, do IBGE, atualizada em 2018. Segundo o Ministério da Saúde a Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa possibilita o rastreio de eventos e contextos importantes para a identificação das reais necessidades de saúde, bem como do potencial de risco e graus de comprometimento da autonomia e independência do indivíduo, permitindo o direcionamento de intervenções oportunas e adequadas a cada caso.

O Ministério da Saúde destaca ainda que a maioria é portadora de doenças ou disfunções orgânicas, mas cabe destacar que esse quadro não significa necessariamente limitação de suas atividades, restrição da participação social ou do desempenho do seu papel social.

A pesquisa teve como foco investigar a importância da fisioterapia na prevenção de quedas de idosos. Considera-se que as práticas de atividades da fisioterapia preventiva, mantém as funções motoras e previne patologias decorrente das quedas dos idosos em ambientes internos. Inicialmente,apresenta-se as deficiências recorrentes dos idosos. Em seguida destacou-se as possíveis quedas que acontecem com os idosos, ainda apresenta-se os possíveis recursos e meios de intervenções para prevenção de quedas de idosos e, finalmente, destaca-se a importância da fisioterapia na prevenção de quedas de idosos. .

A pesquisa é importante para os profissionais da área de saúde, fisioterapeutas envolvidos no tratamento e para os idosos de ambos os sexos, com idade de 60 a 85 anos, a título preventivo e qualidade de vida. É uma pesquisa de BaseBibliográfica, de caráter indutivo, direcionada aos idosos. Os dados coletados foram através das bases de dados: SCIELO, PEDRO, SCIENCE.

O estudo apresenta o processo do envelhecimento, as patologias que contribuem para as quedas dos idosos em ambiente interno e os fatores de risco no ambiente interno. E prevenção, para uma melhor qualidade de vida dos idosos.

2. DESENVOLVIMENTO

2.1. DEFICIÊNCIAS FUNCIONAIS RECORRENTES DO IDOSO.

LIMA et al., afirma que o Estatuto do Idoso que foi instituído pela Lei N º10741, de 1ºde outubro de 2003, e traz em seu artigo 1º que a pessoa para ser considerada idosa deve ter idade igual ou superior a 60 anos de idade. (TAVARES, PEREIRA E BRAZ) afirmam que no Brasil, o crescimento da população idosa tem despertado interesse em termos de saúde pública. O envelhecimento, compreende uma série de fatores que causam alterações no Sistema Anatômico e Fisiológico, desacelerando as funções do organismo, (VEY et al). Para (MIRANDA, MENDES e SILVA), além disso os idosos podem adquirir doenças, incapacidades e sequelas que exigem ações integrais do sistema de saúde. (TAVARES E SANTOS) afirmam que as doenças do Sistema Locomotor são as principais causas de incapacidades associados ao envelhecimento é um dos principais alvos da prevenção. A Síndrome da fragilidade, causa alterações é uma condição multifatorial de mudanças nos sistemas estruturais e fisiológicos do idoso, um fator desencadeado é a Sarcopenia que causa desnutrição, astenia, redução da força muscular, redução da marcha e entre outras, (COSTA et al).

2.2. QUEDAS QUE ACONTECEM COM OS IDOSOS. Para Duarte et al., o efeito acumulativo de alterações relacionadas a idade, doenças e meio ambiente inadequados podem predispor à queda. Nas palavras de (CUNHA E PINHEIRO) entre as repercussões da sobre a função, que podem levar à queda da pessoa idosa, destaca-se: diminuição da força muscular, dos reflexos, da flexibilidade, da velocidade espontânea da marcha, acuidade visual e função vestibular. De acordo com Moura et al., a prevalência de quedas entre os idosos é de 32,1%. Entre aqueles que sofreram quedas 53% tiveram uma única queda e 19% tiveram fratura como consequências. Maior parte das quedas 59% ocorrem no domicílio do idoso. Para ALMEIDA et al., causas das quedas foram as mais diversas possíveis com destaque para quedas da própria altura, provocadas pela perda do tônus muscular e força, tontura ou falta de iluminação do ambiente. Para SOUZA et al., o equilíbrio é um fator importante a ser observado, considerando o risco de quedas do idosos, principalmente no gênero feminino que apresenta índice de quedas mais elevado quando comparado ao masculino por fatores pouco esclarecidos. De acordo com ABREU et al., para a faixa etária de 60 anos ou mais as mulheres superaram os homens com taxa de 43,6 por 10 mil mulheres e de 35,7 por 10 mil homens. De acordo com CONFORTIN et al., ao considerar o impacto das quedas na vida dos idosos, é fundamental a priorização de ações para reduzi-las por meio da prevenção e promoção de um envelhecimento ativo.

2.3. RECURSOS E MEIOS DE INTERVENÇÕES DA FISIOTERAPIA PARA PREVENÇÃO DE QUEDAS DOS IDOSOS. Nas palavras de SILVA et al., um tratamento proposto para minimizar os efeitos do envelhecimento é a Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva (FNP), um método que utiliza movimentos em diagonais e espirais, tendo como objetivos a facilitação, fortalecimento, o ganho de controle de coordenação de movimentos. Segundo QUEIROZ et a., o principal local de atuação em estratégia de intervenção é a nível domiciliar, organizando o meio com utilização de piso não escorregadio, ausência de tapetes, iluminação adequada, utilização de barras de apoio para facilitar o acesso a escadas e degraus, disposição adequada do imobiliário e pertences do idoso, uso de dispositivos antiderrapantes e anteparo para assento durante o banho.

figura-1

FONTE: https//fisioterapiaemgeriatriaegerontologia.wordpress.com

De acordo com (GUSMÃO E REIS), o meio aquático associado aos exercícios terapêuticos é responsável pelo aumento da flexibilidade, força e amplitude articular além da melhora do equilíbrio e restruturação postural por meio do aperfeiçoamento da recepção de informações sensoriais e recrutamento da musculatura antigravitacional

Figura-2

FONTE: centiser.com.br/2019/07/04 a-importancia-da-fisioterapia/

De acordo com PILLAT et al., que além disso um programa de exercícios multicomponentes que inclua força, resistência e treinamento de equilíbrio está sendo considerado como a estratégia mais eficaz para melhorar a marcha, equilíbrio e força, diminuir taxa de quedas e consequentemente, manter a capacidade funcional durante o envelhecimento.

Figura-3

FONTE: www.centraldafisioterapia.com.br/tratamentos/fisioterapia-geriatrica-quedas-de-idosos

2.4. IMPORTÂNCIA DA FISIOTERAPIA NA PREVENÇÃO DE QUEDAS DE IDOSOS. (SILVA, SANTANA E RODRIGUES), afirmam quanto a análise dos trabalhos percebeu-se que a fisioterapia tem sido um tema bastante recorrente no âmbito da saúde e constitui-se como uma das áreas mais aplicadas no que tange a prevenção e tratamento de disfunções decorrentes da idade e tendo sido adotada como um meio importante de promoção da qualidade de vida do idoso. FREITAS E PY (2017, p.3115), afirmam que a abordagem fisioterapêutica preventiva melhora a qualidade de vida a capacidade funcional, diminui a prescrição de medicamento, influenciando a qualidade de vida do indivíduo idoso e adiando o período de vida com incapacidade e dependência. Métodos preventivos também podem ser realizados ao se observar criteriosamente o ambiente onde vive o idoso. Ao aquilatar a sua segurança e o seu bem-estar, indicando-se adequações ambientais, permitindo, assim a prevenção de quedas e suas comorbidades.

3.ANÁLISE.

Ao realizar a análise de forma crítica, verificou-se quais fatores que mais contribuem para quedas, as alterações anatômicas e fisiológicas que predispõem os riscos de quedas, e os recursos e meios de intervenção da fisioterapia na prevenção de quedas que acontecem com idosos. Apresentando os recursos e discursões, propondo uma melhor qualidade de vida para os idosos.

4.DISCUSSÃO.

A pesquisa realizada evidência envelhecimento no sistema fisiológico e anatômico, apontando para um declínio funcional, associando-se as outros fatores de riscos de quedas. Tendo como principal alvo os idosos de ambos os sexo de 60 a 85 anos, sendo o sexo feminino o mais afetado. O estudo mostra que os locais onde há maior ocorrências de quedas dos idosos é o ambiente interno, e chama atenção para adaptações com ações de intervenções domiciliares adaptativas e preventivas, com objetivo de reduzir e prevenir os riscos de quedas. Diante dos fatores multicausais de quedas a pesquisa evidência que os exercícios voltados para força e resistência associados ao meio aquáticos são eficazes na prevenção de quedas dos idosos, mostrando a importância que as intervenções em ambiente interno, e a importância da fisioterapia preventiva para uma melhor qualidade de vida dos idosos.

5. CONCLUSÃO

A pesquisa transparece, as evidências das práticas nas intervenções da fisioterapia preventiva, nos fatores de risco que contribuem para quedas, na população idosa vulneráveis a esses riscos. Demonstrou-se o processo do envelhecimento, apontando o sexo feminino como mais acometido, a eficácia dos recursos da fisioterapia como meios de intervenções, na prevenção de quedas. Diante do exposto apresentado, conclui-se que esta pesquisa elucida os meios de intervenções e recursos da fisioterapia preventiva.

Ressalta-se um melhor aprofundamento de investigação, por parte dos fisioterapeutas em busca de novas intervenções baseadas em evidências, voltadas para a fisioterapia na prevenção de quedas dos idosos.

7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. ABREU, D. R. O. M.; et al. Fatores associados à recorrência de quedas em uma corte de idosos. Revista Ciência e Saúde Coletiva, v.21, n.11, p.3439-3446, 2016.

2. ALMEIDA, M.M.; et al. Causas e consequências de quedas de idoso atendidos em hospital público. Revista interdisciplinar, v. 12, n.1, p.15-22, jan. fev. mar, 2019.

3. Caderno Saúde Coletiva, v. 28, n. 2, p. 251-259, 2020. https://doi.org/10.1590/1414-462×202028020255

4. COSTA, L.G.O.; et al. Percepção do idoso frágil, do cuidador e do fisioterapeuta sobre a funcionalidade após tratamento fisioterapêutico ambulatorial. Revista brasileira Ciência e Movimento, v. 28, n. 2, p. 23-32, 2020.

5. CONFORTIN, S. C.; ANDRADE, S. R.; ANTES, D. L. Internação por quedas em idosos residentes em Florianópolis, em Santa Catarina e no Brasil: tendência temporal 2006-2014.

6. DUARTE, G. P.; SANTOS, J. L. F.; LEBRÃO, M. L.; DUARTE, Y. A. O. Relação de quedas em idosos e os componentes de fragilidade. Revista brasileira epidemiologia, v.21, n.2, 20018.

7. GUSMÃO, M. F. S.; REIS, L. A. Efeitos do treinamento sensório-motor no equilíbrio de idosos. Revista de Saúde Coletiva da UEFS, Feira de Santana, v.7, n.1, p. 64-70, jun, 2017.

8. LIMA, A. J. L.; et al. Determinantes sociais da saúde relacionados aos idosos do interior do município de Quixadá-CE. Mostra Interdisciplinar do curso de enfermagem, v. 2, n. 01, jun. 2016.

9. MIRANDA, G. M. D,; MENDES, A, C. G.; SILVA, A. L. A. O envelhecimento Populacional Brasileiro desafios e consequências sociais atuais e futuras. Revista brasileira geriatria. Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p. 507-519, 2016.

10. MOURA, S. R. B,; et al. Percepção de idosos sobre o risco de quedas. V. 10, n. 4, p. 1-13, out. nov. dez. 2017.

11. NETO, J, A, C,; et al. Percepção sobre queda e exposição de idosos a fatores de risco domiciliares. Revista Ciência e Saúde Coletiva, v. 23, n. 4, p. 1097-1104, 2018.

12. OLIVEIRA, H. M. L,; RODRIGUES, L. F,; CARUSO, M. F. B,; FREIRE, N. S. A. Fisioterapia na prevenção de quedas em idosos. Revista Interdisciplinar de Estudos Experimentais, v.9, n. único, p. 43-47, 2017.

13. PINHEIRO, L. C,; CUNHA, P. O papel do exercício físico na prevenção das quedas nos idosos: uma revisão baseada na evidência. Revista port med geral Fam, v. 32, p. 96-100, 2016.

14. PILLATT, A. P,; NIELSON, J,; SCHNEIDER, R. H. Efeitos do exercício físico em idosos fragilizados. Revista Fisioterapia Pesquisa, v. 26, n. 2, p. 210-2017, 2019.

15. QUEIROZ, A. C. C. N,; et al. Intervenções na prevenção de quedas de idosos em ambiente domiciliar. Revista brasileira interdisciplinar de saúde, v. 2, n. 4, p. 1-5, 2020.

16. SILVA, I. A,; AMORIM, J. R,; CARVALHO, F. T,; MESQUITA, L. S. A. Efeito de um protocolo de Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva (FNP) no equilíbrio postural do idoso. Fisioterapia pesquisa, v.24, n. 1, p. 62-67, 2017.

17. SILVA, F. L. C,; SANTANA, W. R,; RODRIGUES, T. S. Envelhecimento ativo: O papel da fisioterapia na melhora da qualidade de vida da pessoa idosa. Revista Uningá Maringá, v. 56, n. S4, p. 134-144, abr./ jun. 2019.

18. SOUZA, N. F. S,; et al. Envelhecimento ativo: prevalência e diferenças de gênero e idade em estudo de base populacional. Cad. Saúde Pública, v.34, n(11): e 00173317, 2018.

19. SOUZA, C. M,; et al. Equilíbrio de idosos após aplicação de diferentes protocolos de exercícios. Semin. Ciências biológicas e da Saúde, Londrina, v.39, n. 2, p. 153-160, jul./ dez. 2018.

20. TAVARES, D. R. B,; SANTOS, F. C. Síndrome locomotora em idosos: tradução, adaptação cultural e validação brasileira do instrumento -25 Question Geriatric Locomotive Function Scale. Revista brasileira de reumatologia, v.57, n. 1, p. 56-63, 2017.

21. TAVAREZ, D. I,; PEREIRA, M. B,; BRAZ, M. M. Perfil dos estudos de quedas com idosos: revisão integrativa. Revista Kairós-Gerontologia, São Paulo, v. 20, n. 3, p. 207-222, jul.-set, 2017.

22. VEY, A. P. Z,; et al. Quedas e frequência de internação e mortalidade em idosos no Brasil e Rio Grande do Sul. Revista brasileira Fisioterapia brasil, v. 17, n. 6, p. 559-565, 2016.

8. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA

Revista Retratos, n. 16, fev. 2019. https://censo2021.ibge.gov.br/2012-agencia-de-noticias/noticias/24036-idosos-indicam-caminhos-para-uma-melhor-idade.html acessado em: 22 de outubro de 2020, às 22:52. Atenção integral à Saúde do idoso. Orientação. Sistema Único de Saúde (SUS) I. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Orientações técnicas para a implementação de Linha de Cuidado para Atenção Integral à Saúde da Pessoa Idosa no Sistema Único de Saúde -SUS [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de ações Programáticas e Estratégicas. – Brasília : Ministério da Saúde, 2018. 91 p, : il.
Modo de acesso: World Wide web: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/linha-cuidado-atencao-pessoa-idosa.pdf. Acessado em : 23 de outubro de 2020 às 01:19.

PEREIRA, LSM,; DIAS, RC; DIAS, JMD, ;GOMES, GC, ; SITTA, MI. Fisioterapia em Gerontologia. In: Freitas, E, V,; PY, L. T. Tratado de Geriatria em Gerontologia. 4. Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2017, cap. 128. P. 3115.

10. LISTA DE ABREVIATURAS

FNP: Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva

SUS: Sistema Único de Saúde

IBGE: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

1 comentário em “A IMPORTÂNCIA DA FISIOTERAPIA NA PREVENÇÃO DE QUEDAS DE IDOSOS”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.