A CARBOXITERAPIA NO REJUVENESCIMENTO FACIAL

  1. M. G. Lourenço1,2

1- Graduada em Fisioterapia- Faculdade Bezerra de Araújo, Rio de Janeiro, Brasil

  1. Pós-graduanda em Dermato Funcional, Universidade Castelo Branco, Rio de Janeiro, Brasil

e-mail: dra.glorialourenco@yahoo.com.br

Resumo:

A Carboxiterapia vem sendo utilizada para diversos distúrbios estéticos, dentre eles, nas consequências do envelhecimento cutâneo facial. O objetivo desse trabalho é investigar o efeito da carboxiterapia no tratamento do rejuvenescimento facial através de uma revisão bibliográfica. Trata-se de uma revisão de literatura com análise descritiva. Foram utilizadas as palavras-chaves carboxiterapia, envelhecimento, rejuvenescimento nos portais Biblioteca Virtual em Saúde, Biblioteca Cochrane, Bireme, Lilacs, Scielo, dentre outros, publicados entre 2006 e 2013. De acordo com a análise de alguns trabalhos pesquisados, foram observados que a carboxiterapia é uma técnica eficaz para a flacidez tissular. A partir dos achados recentes da pesquisa bibliográfica, concluímos que a carboxiterapia é uma técnica eficaz e segura para o tratamento do rejuvenescimento facial com redução das rugas e flacidez tissular, devido ao aumento da síntese de colágeno.

Palavra chave: carboxiterapia, carbon dioxide therapy, envelhecimento, rejuvenescimento.

Abstract: The carbon dioxide therapy has been used for various aesthetic disorders, among them, the consequences of facial aging. The aim of this study is to investigate the effect of carbon dioxide therapy in the treatment of facial rejuvenation through a literature review. This is a literature review with descriptive analysis. Keywords carbon dioxide therapy, aging, rejuvenating the portals Virtual Health Library, Cochrane Library, Bireme, Lilacs, SciELO, among others, published between 2006 and 2013. According to the analysis of some papers surveyed were used, were observed that carbon dioxide therapy is an effective technique for tissue sagging. Given the recent findings of the literature review, we conclude that carbon dioxide therapy is an effective and safe technique for the treatment of facial rejuvenation with wrinkle reduction and tissue sagging due to increased synthesis of collagen.

Keyword: carboxiterapia, carbon dioxide therapy , aging , rejuvenation.

Introdução

O envelhecimento é uma realidade no qual poucos querem enfrentar. Questões relacionadas ao processo do envelhecimento têm despertado o interesse da população em geral, decorrente do rápido andamento que a velhice tem tomado em diversos países, inclusive no Brasil. Isto é explicado pela redução da taxa de natalidade e pelo aumento da expectativa de vida, devido à infinidade de avanços tecnológicos em diversos campos científicos [1]. Segundo Veras (2009), a cada ano, 650 mil novos idosos são incorporados à população brasileira. Em 1960, o número de idosos no Brasil era em torno de 3 milhões. Em 1975 passou para 7 milhões, e em 2008 a população idosa já era em torno de 20 milhões, ou seja, um aumento de 700% ao longo dos anos. Como conseqüência, houve o aumento de doenças crônico-degenerativas, próprias do envelhecimento, ganhando maior expressão social [1].

Não diferente, a pele também sofre com as consequências do envelhecimento intrínseco (cronológico) e extrínseco (foto envelhecimento) [2]. É cada vez mais notório o desejo pelo retardo do envelhecimento através da busca por tratamentos para a prevenção e o controle do envelhecimento [3]. Conforme o avançar da idade, o colágeno muda tanto qualitativamente quanto quantitativamente com o envelhecimento. As mudanças qualitativas refletem-se na diminuição da solubilidade e na alteração de várias propriedades físicas da molécula, aumentando a sua rigidez [4].

É cada vez mais notório o desejo pelo retardo do envelhecimento através da busca por tratamentos para a prevenção e o controle do envelhecimento [3]. Inúmeros métodos estão sendo utilizados, e a cada ano novas tendências de aparelhos e tratamentos são lançados no mercado. A Carboxiterapia vem sendo utilizada para diversos distúrbios estéticos, dentre eles, nas consequências do envelhecimento cutâneo facial [5].

A Carboxiterapia é uma técnica no qual o gás carbônico (CO2) é injetado no tecido subcutâneo através de uma agulha hipodérmica, por intermédio de um aparelho específico. O CO2 é um potente vasodilatador, promovendo o aumento do aporte sanguíneo no tecido subcutâneo e, consequentemente, aumentando a oxigenação e a nutrição tecidual. O CO2, por sua vez, estimula uma resposta inflamatória mediante a uma “agressão” física que promove entre os tecidos, estimulando a reparação do tecido “lesado”, através da proliferação de pequenos vasos sanguíneos neoformados e de fibroblastos [6]. O processo inflamatório estimula a migração de fibroblastos e diversas moléculas que compõem o tecido conjuntivo para a região tratada. Os fibroblastos, por sua vez, realizam a síntese de colágeno. Todo esse processo promove a reconstituição do tecido, além do rearranjo das fibras colágenas [6]. Com a derme momentaneamente mais irrigada, torna-se mais suscetível a absorção dos princípios ativos de fármacos específicos, aumentando a eficácia do tratamento [5].

Experimentos em pequenos animais [7] e em seres humanos [5,6,8,9], tem demonstrado aumento de fibras de colágeno e eficácia tratamento do fotoenvelhecimento associado a flacidez cutânea com a utilização da técnica estudada.

Com base no exposto, o objetivo deste trabalho foi revisar os conhecimentos sobre o efeito da carboxiterapia no tratamento do rejuvenescimento facial.

Materiais e Métodos

Trata-se de uma revisão de literatura com análise descritiva. Foram utilizadas as palavras-chaves carboxiterapia, carbon dioxide therapy, envelhecimento, rejuvenescimento nos portais Biblioteca Virtual em Saúde, Biblioteca Cochrane, Bireme, Lilacs, Scielo, dentre outros, publicados entre 2006 e 2013. Os artigos foram submetidos a uma leitura analítica composta de leitura integral do texto, identificação das idéias-chaves, hierarquização e sintetização das ideias. Após a análise, realizou-se a leitura interpretativa e os dados coletados foram organizados em fichas de leituras contendo: autor, ano, título, objetivos, metodologia e resultados.

Resultados e Discussão

De acordo com a análise de alguns trabalhos pesquisados, foram observados que a carboxiterapia é uma técnica eficaz para a flacidez tissular. A pesquisa de Paolo et al (2012) [8] analisou a técnica da carboxiterapia em rugas na região mediana da pálpebra inferior e olheiras ao redor dos olhos. Foram 90 pacientes submetidas à carboxiterapia uma vez na semana durante 7 semanas entre janeiro de 2008 a dezembro de 2010. Os pacientes foram avaliados antes e 2 meses após o tratamento por meio de documentação fotográfica  e das escalas analógicas visuais. Ao final do período de estudo, os pacientes relataram uma redução de linhas finas e rugas faciais, bem como uma diminuição da hiperpigmentação periorbital.

De acordo com Cavalho, Erazo e Viana (2006) [5], o gás aplicado na via subcutânea nas áreas de envelhecimento cutâneo e a perda de elasticidade facial e corporal aumentam a oxigenação e nutrição tecidual, provocando uma importante retração da pele tratada, com conseqüente melhora na flacidez, diminuição visível de rugas, vincos, e melhora geral da qualidade da pele.

Scorza e Borges (2008) [6], em sua pesquisa de revisão bibliográfica, baseado no fato de que a flacidez cutânea é caracterizada por uma atrofia da pele e perda da elasticidade, devido à diminuição da capacidade de produção de colágeno que dá sustentação a pele, a terapia com gás carbônico torna-se um recurso viável para seu “tratamento” tendo em vista estimular a produção de novas fibras de colágeno e com isso prover maior sustentabilidade à pele flácida. Analisando o fato de que as rugas apresentam dano nas propriedades mecânicas do colágeno e um dos efeitos fisiológicos da carboxiterapia é a produção e reorganização das fibras colágenas, pode-se considerar, baseado na literatura e em nossa prática clínica como sendo um método eficaz para suavizar e promover firmeza nos locais onde haviam rugas.

Na pesquisa de revisão bibliográfica de Pìnto e Mejia (2012) [9] falam que a técnica da carboxiterapia proporciona, além da melhora estética visual, condições favoráveis para a formação de um tecido de sustentação, devido ao aumento do aporte de oxigênio e sanguíneo, levando a melhora estrutural da pele.

Já a pesquisa de Ferreira, Haddad e Tavares (2008) [7], em um estudo piloto transversal cego que foi realizado nos Departamentos de Farmacologia e Morfologia da Universidade Federal do Ceará, com o objetivo de investigar histologicamente como a injeção intradérmica de dióxido de carbono aumentaria o volume de colágeno em ratos. As biópsias foram coletadas antes e após o tratamento. Os resultados obtidos com as injeções de dióxido de carbono foram observadas na análise clínica, onde foram constatadas melhoras na pele facial.

gloria

Conclusão

A partir dos achados recentes da pesquisa bibliográfica, concluímos que a carboxiterapia é uma técnica eficaz e segura para o tratamento do rejuvenescimento facial com redução das rugas e flacidez tissular, devido ao aumento da síntese de colágeno. Além disso, os casos de complicações e efeitos adversos são relatados como sendo de pouca expressão a ponto de se traduzirem em contra-indicações absolutas. É perceptível a escassez literária científica relacionada ao assunto, o que nos remete a necessidade de se realizar mais estudos acerca da carboxiterapia, para assim confirmar os resultados e contribuir para a prática da fisioterapia Dermato Funcional baseada em evidências.

Referências

[1] Veras, R. (2009) “Envelhecimento populacional contemporâneo: demandas, desafios e inovações” Revista Saúde Pública, v. 43, n. 3, p. 548-54.

[2] Monteiro, E. (2010) “Envelhecimento facial: perda de volume e reposição com ácido hialurônico” Rev Bras Med, v. 67, n. 8, p. 299-30367.

[3] Bagatin, E. (2009) “Mecanismos do envelhecimento cutâneo e o papel dos cosmecêuticos” Rev Bras Med, 66 (supl.3) p. 5-11.

[4] Franzen, J. M.; Santos, J. M. S. R.; Zancanaro, V. (2013), “Colágeno: uma abordagem para estética” Revista Interdisciplinar de Estudos em Saúde, v. 2, n. 2, p. 49-61.

[5] Carvalho, A. C. O., Erazo, P., Viana, P. C. (2006) “Carboxiterapia: Revisão Bibliográfica e novas indicações –  Atualização em Cirurgia Plástica Estética e Reconstrutiva”, Robe Editorial. Capítulo 114, p. 893-900.

[6] Scorza, F.A., Borges, F. S. (2008) “Carboxiterapia: uma revisão” Revista Fisioterapia Ser, Ano 3, nr 4.

[7] Ferreira, J. C. T.; Haddad, A.; Tavares, S. A. N. (2008) “Increase in collagen turnover induced by intradermal injection of carbon dioxide in rats” Journal of Drugs in Dermatology, v. 7,  n. 3, p. 201 – 206.

[8] Paolo, F., Nefer, F., Paola, P., Nicolo, S. (2012) “Periorbital area rejuvenation using carbon dioxide therapy” Journal of Cosmetic Dermatology, 11, p. 223-228.

[9] Pinto, L. L. O., Mejia, D. P. M. (2012) “Envelhecimento Cutâneo Facial: Radiofreqüência, carboxiterapia, correntes de média frequência, como recursos eletroterapêuticos em fisioterapia dermato – funcional na reabilitação da pele – resumo de literatura” Pós Graduação em Fisioterapia Dermato Funcional – Faculdades Ávila. Goiânia, 15 p.

[10] Maciel, D.; Oliveira, G. G. “Prevenção do envelhecimento cutâneo e atenuação de linhas de expressão pelo aumento da síntese de colágeno” V Congresso Multiprofissional em Saúde – Atenção ao Idoso. Disponível em: http://www.unifil.br/portal/arquivos/publicacoes/paginas/2011/7/350_438_publipg.pdf, acesso em março de 2014.

[11] Vieira, F. N. M. (2007) Mecanismos moleculares do envelhecimento cutâneo: dos cromossomos às rugas. São Paulo: Artes Médicas.

[12] Santos, M. P. (2013) O Papel das vitaminas antioxidantes na prevenção do envelhecimento cutâneo Monografia, Biblioteca Virtual – Universidade Regional UNIJUÍ, Rio Gande do Sul, 16 p., mar.

[13] Montagner, S.; Costa, A. (2009) “Bases biomoleculares do fotoenvelhecimento” In: Anais brasileiros de dermatologia, São Paulo, 263-269. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/abd/v84n3/v84n03a08.pdf, acesso em 25 mar. de 2014.

[14] Santos, M.P. (2007)  “Antioxidantes para a prevenção do envelhecimento cutâneo: uma revisão”  Nutrição em Pauta, edição Jul/Ago/2007.

1 comentário em “A CARBOXITERAPIA NO REJUVENESCIMENTO FACIAL”

  1. fiz carbox facial e ao redor do meu queixo, apareceram nodulos, o que pode ser isso?
    grata
    Eliana Bacan

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.